23/12/2020

Hospital recebe equipamento da Tramontina

A solução não é destinada para casos de doenças respiratórias graves.


Fonte: Renata H. G. Eidelwein/Relações Públicas
COMPARTILHAR:

Nesta semana o HSFA recebeu da empresa Tramontina um aparelho de suporte respiratório. O equipamento foi direcionado para a emergência. A solução não é destinada para casos de doenças respiratórias graves que demandam ventiladores microprocessados e de alto custo. 

O aparelho foi desenvolvido na fábrica da Tramontina em Carlos Barbosa destinado ao segmento de saúde para auxiliar em situações de emergência e deixar um legado pós-pandemia. A empresa centenária e genuinamente brasileira reuniu suas equipes técnicas, principalmente de eletrônica e construção de máquinas, para a criação do Ventra – o equipamento de suporte respiratório transitório que sai da unidade pronto para uso emergencial em hospitais. O primeiro lote com 40 equipamentos estão sendo doados para hospitais de mais de 20 municípios do Rio Grande do Sul.

O projeto nasceu em março, em meio à crise no norte da Itália, onde o sistema de saúde entrou em colapso. No Brasil, havia grande preocupação em relação a possível escassez de equipamentos para suporte respiratório. “O cenário era de limitação na capacidade de produção nacional e muita concorrência, alto custo e longos prazos para importação. Reunimos um grupo multidisciplinar que estudou em detalhes os diversos esforços em andamento, incorporamos novas ideias e, por fim, chegamos à proposta do Ventra”, afirma Osvaldo Steffani, Diretor da Tramontina à frente do trabalho.

A equipe de engenheiros e técnicos opera em espaço exclusivo de 360 m² criado no prédio técnico-administrativo da Tramontina S.A. Cutelaria. Conta com layout específico e áreas separadas para higienização, estoque, identificação e classificação de componentes, montagem, embalagem e assistência técnica. Com exceção dos componentes da área médica disponíveis no mercado, o Ventra foi desenvolvido dentro da empresa.

O conceito é baseado em estudo do MIT – Massachusetts Institute of Technology – que envolve um sistema mecânico automatizado relativamente simples e barato, utilizado para ventilar pacientes em situações de emergência. Esse sistema substitui o reanimador manual chamado de Ambu, atualmente utilizado nas emergências dos hospitais, com vantagens ligadas à simplicidade, baixo custo, fácil assepsia e disponibilidade no mercado.

Equipamentos como o Ventra foram regulamentados através de uma resolução específica da Anvisa, em maio, para serem utilizados em situações de emergência. O sistema mecânico e eletrônico foi projetado para ser muito robusto, preciso e confiável, a partir de tecnologia avançada e componentes de alto padrão de qualidade e confiabilidade. A movimentação do sistema é feita através de um servo motor, que permite que a alteração dos parâmetros de utilização sejam feitos de forma rápida, amigável e precisa.